A história da cerveja Kunstmann é, em grande parte, a história da colonização alemã no sul do Chile, sendo também parte da história da cidade de Valdivia.

A aclamada cerveja Kunstmann começa a sua história nas mãos dos primeiros colonizadores alemães que, em 1850 começam a difundir o patrimônio dessa bebida a través do transpasso de conhecimentos sobre a sua produção. Somente um ano depois que Karl Andwanter começou a elaboração de uma cerveja com o seu nome, a produção alcançou 1.440.000 litros anuais, assim como os múltiplos elogios e prêmios a respeito da sua qualidade.

Essa fértil história se interrompe pelo maior terremoto e maremoto da história, no ano de 1960, os 9.5 graus na escala Richter devastaram a cidade de Valdivia por completo, e junto com ela, a cervejaria Andwanter se reduz a escombros durante décadas.

Contudo, a história do lúpulo e da levadura já tinha sido contada e ouvida milhares de vezes. Pais e avós já tinham escrito em algum lugar a receita que fermentaria com os anos, até se transformar em um barril eternamente cheio. Graças a isso, Armin Kunstmann começaria a fabricar artesanalmente pequenas quantidades de cervejas na garagem da sua casa, que logo repartia entre amigos para constatar a sua qualidade. Sua fama crescente o levou a fundar em 1997 uma pequena cervejaria, a Sociedad Cervecera Valdivia Ltda. No setor de Torobayo, na mesma cidade e junto de uma das mais macias e cristalinas águas do mundo, elemento no qual se funda o êxito de uma das cervejas mais vendidas nacionalmente.

Hoje, a pequena cervejaria que representou o apogeu da vocação de toda uma cidade, se transformou em um dos centros gastronômicos onde as 14 variedades de cervejas Kunstmann podem ser degustadas, acompanhadas de seus pratos perfeitos, todos receitas alemãs, que foram cozinhadas durante décadas no calor da lenha do sul do Chile.

O êxito de Kusntamnn inspira a um grande número de empreendedores a se aventurar na elaboração da sua própria cerveja, transformando  Valdivia na única rota da cerveja artesanal nessa parte do mundo. É assim como a identidade Valdiviana abandona a postal fluvial e se transforma em um sabor particular, uma forma de traduzir o céu, a terra e a chuva em algo que se possa degustar, em uma fórmula universal que se multiplica milhares de vezes para se fazer autentica e única na honestidade de somente um sabor.

Dicas de degustação:

Valdivia é uma das cidades mais chuvosas do mundo, por isso, a cerveja adquire uma função que não é de refrescar e sim agasalhar, alimentar, sustentar o corpo frente ao clima hostil. Isso da às suas cervejas grande corpo e personalidade, e dá origem a produtos como “Bock”, onde a alta concentração de mosto entrega o amargor e presença inconfundível, ou “Gran Torobayo”, cerveja de qualidade Premium, com lúpulo importado desde o sul da Alemanha, ambas excelentes para ser acompanhadas por carnes vermelhas. Para o paladar brasileiro, acostumado a cervejas mais leves, as mais adequadas são “Andwanter”, perfeita para acompanhar carne de porco e a “Lager”, muito harmônica com pratos aromáticos e ricos em ervas. A incrível variedade misturada com mel de Ulmo substitui com grande acerto um aperitivo e a de “Arándano” conseguirá extrair o melhor do sabor de um cordeiro assado.

Onde comprar?

Sem dúvida é insuperável viver a experiência de ter que escolher qual comprar depois de ter experimentado os 14 tipos de cerveja da Cervejaria Kunstmann, a somente poucos quilômetros do coração da selva Valdiviana. Outra alternativa é comprar em praticamente todos supermercados ao longo do país.

 

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.