Restaurante Holm em Santiago

341

Restaurante Holm em Santiago: sabores naturais e frescos!

Uma das primeiras coisas que escutamos da boca do Victor, criador e dono do restaurante Holm em Santiago, foi o conceito de comida honesta ou comida feita com o coração. Este conceito é visualizado logo ao entrar no restaurante Holm: um espaço livre de poluição visual, cheio de caixas de frutas frescas e uma enorme cozinha à vista de quem queira ver como seus produtos são elaborados. No restaurante Holm em Santiago, entre a cor chocolate e o delicado verde menta da decoração, um menu abundante se abre na parede, para escolher em conjunto aquilo que se queira degustar. Uma energizante vitamina verde para começar o dia, um smoothie para apagar o sufocante calor de Santiago, ou uma salada fresca com uma cor que nos transporta até a horta onde nasceu. Qualquer opção no restaurante Holm é uma possibilidade de se desfazer das complicações do dia a dia, porque, como Victor nos contava, é uma comida simples e deliciosa que fortalece as vontades de sair dali para enfrentar a rotina cotidiana contagiados dessa mesma simplicidade. Tínhamos escutado bastante sobre o famoso “Brunch” do restaurante Holm em Santiago, a famosa comida que combina as bondades do café da manhã e o almoço, e que se transformou na especialidade do lugar pela sua originalidade e abundância. A hora perfeita para esta comida é, tal como seu nome indica, o horário intermediário entre as duas refeições. Desta forma, às onze em ponto, decidimos suportar a fome matutina resistindo a comer qualquer coisa em casa e correr na busca do Brunch do restaurante Holm.

A comida do restaurante Holm em Santiago.

A decisão foi um acerto, da mesma forma que é falar a partir do coração quando aquilo que se oferece na mesa é fruto de uma inspiração que surge a partir do carinho com os alimentos e da vocação de alimentar. Tanto o Brunch clássico como o vegetariano mantêm várias semelhanças, diferenciando-se na presença do bacon no primeiro, e em um pequeno pote de homus (patê de grão-de-bico típico da cozinha árabe) com azeitonas no segundo. Alegres habitantes deste prato principal eram os morangos frescos e cheios de saudê, abacaxis, e o protagonista pomelo que, partido ao meio e dourado levemente na chapa, mostrava orgulhosamente uma cor rosa apenas resguardada por uma capa doce caramelizada pelo fogo. Se isto fosse um poema gastronômico, morder este pomelo seria o seguinte e mais belo dos versos escritos pelo restaurante Holm!

Ácido, mas profundamente doce, seus sucos escorriam, mas tudo aquilo era parte dessa festa que é comer com as mãos quando lhe é permitido. O delicioso pedaço de pão que acompanhava tudo isso foi passado no queijo e no cremoso abacate; carregou no seu branco lombo uns tomates ao forno que quase se desfaziam só de olhar e se internou no homus que nos lambuzou os dedos. Mas essa era a nossa ideia, e tínhamos autorização para isso; porque comer com honestidade é comer como uma criança que descobre, que toca, que cheira, que experimenta a comida como se fosse uma emoção. Para finalizar este maravilhoso prato oferecido pelo restaurante Holm em Santiago, uma pequena bandeja de iogurte com granola, geleia, manteiga, crumble caseiro de maçã e uma saladinha de rúcula com pêssego, queijo de cabra e tomates cereja, esperavam ansiosas a sua vez.

Comemos entusiasmados tudo aquilo que nos foi servido, menos a aspirina, pensada idealmente para quem come o Brunch no Sábado ou no Domingo com a esperança de curar a ressaca da noitada.

Ficamos satisfeitos, mas suficientemente energéticos para fazer uma caminhada, ou prosseguir intacto o plano do dia, o que quer dizer que o prato está pensado de uma maneira balanceada para satisfazer a fome mais voraz, mas sem deixar a gente o dia inteiro jogado no sofá. O restaurante Holm é um desses lugares que, como uma boa lembrança, a gente guarda, conta mil vezes para não esquecer, ou entrega a outros como um presente de algo bom que viveu e que deve ser repetido, porque fala de voltar à simplicidade da comida, e fala desses pratos que cozinhamos para dar alívio a alguém amado, ou para comemorar os triunfos da vida, ou para amenizar as derrotas. No final das contas, ir ao restaurante Holm em Santiago é voltar a ser quem somos, naturalmente.

Onde fica o restaurante Holm? Padre Mariano 125, Providencia.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.